26 de ago de 2013





Inédito no Brasil, Encontro Internacional da Marcha Mundial de Mulheres reunirá reunir 1600 participantes de 40 países. A coletiva começa às 11 horas, no Memorial da América Latina, e terá participação de Miriam Nobre, Jean Enriquez e Conceição Dantas.


Nesta segunda-feira, 26, começa o 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), em São Paulo. O Encontro vai reunir um número recorde de 1.600 mulheres, vindas de mais de 40 países, em uma semana inteira de atividades, até o dia 31. Inédito no Brasil, o evento já foi realizado em países como Índia, Ruanda e nas Filipinas.
No primeiro dia de atividades, será oferecida uma coletiva de imprensa, às 11 horas, na Sala dos Espelhos do Memorial da América Latina. Participam da coletiva as porta-vozes da organização do evento: Miriam Nobre (São Paulo), coordenadora do Secretariado Internacional da MMM e agrônoma, Jean Enriquez (Filipinas), integrante do Comitê Internacional da MMM e diretora executiva da Coalizão Contra o Tráfico de Mulheres, e Conceição Dantas (Rio Grande do Norte), coordenadora nacional da Marcha e socióloga.
A abertura pública do evento acontece às 17h30 da segunda-feira, com a participação da Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, em mesa que contará com Denise Motta Dau, secretária de Políticas para Mulheres da Prefeitura de São Paulo, Miriam Nobre, coordenadora do Secretariado Internacional da MMM, além de uma representante da Assembleia de Movimentos Sociais. Durante a cerimônia, uma militante de cada região em que a Marcha atua (Ásia, África, Europa, América Latina e Caribe e Oriente Médio) fará uma saudação de três minutos.
Em seguida, às 20 horas, tem início na Tenda da Solidariedade uma roda de conversa sobre as revoltas no mundo árabe e as repressões e assassinatos políticos. Participam do debate as ativistas Souad Mahmoud, da Tunísia, e Khadija Rhamiri, do Marrocos.
A programação do Encontro Internacional, no entanto, começa antes das solenidades. No domingo, 25, será lançada a exposição Feminismo em Marcha, na Galeria Olido. Contendo projeções, fotografias e materiais históricos, a exposição apresenta a trajetória, ações e principais temáticas abordadas pela Marcha Mundial das Mulheres em 62 países. Na segunda-feira, na casa oficial do evento, o Memorial da América Latina, as atividades começam às 9h, com grupos de debates sobre temas contemporâneos do movimento internacional.
Dia 31, sábado, o evento termina com uma manifestação que começa no vão do MASP, na Avenida Paulista, e termina na praça da República, com shows da cantora pernambucana Karina Buhr, das rappers cubanas Krudas Cubensi e do grupo de forró brasiliense Chinelo de Couro.
O Encontro Internacional da MMM
Esta edição do Encontro Internacional da MMM, além de ser a oportunidade de encontro de militantes do movimento de todas as partes do mundo para importantes formações e deliberações, será um momento especial para o Brasil.
O país sedia pela primeira vez esse evento, dando um salto em suas proporções, que contava até a última edição com algumas centenas de participantes.
Também será o momento de encerramento de um ciclo. Durante o Encontro, será eleita a nova composição do Secretariado Internacional da Marcha. O grupo do Brasil, que tem estado à frente do movimento mundial nos últimos anos, terá sua sucessão definida. A gestão brasileira passa o bastão tendo alcançado diversas realizações e conquistas.
“Foram sete anos nessa missão, com várias ações internacionais, com uma conjuntura que se complicou ainda mais, marcada pela crise geral do sistema e o recrudescimento dos ataques conservadores. Faremos um balanço desse período que vai nos fortalecer para o que venha adiante”, conta Miriam Nobre, coordenadora do Secretariado Internacional da MMM.
Sobre a MMM
A Marcha Mundial das Mulheres é um movimento feminista internacional que surgiu no ano 2000 como uma grande mobilização que reuniu mulheres do mundo todo em uma campanha contra a pobreza e a violência. Atualmente, a MMM está organizada em mais de 150 países e territórios. Entre seus princípios estão a organização das mulheres urbanas e rurais a partir da base e as alianças com movimentos sociais. A Marcha defende a visão de que as mulheres são sujeitos ativos na luta pela transformação de suas vidas, e que essa transformação está vinculada à necessidade de superar o sistema capitalista patriarcal, racista, homofóbico e destruidor do meio ambiente.
Serviço:
9º Encontro Internacional da Marcha Mundial de Mulheres
25/08 a 31/08 em São Paulo, SP
Organização: Secretariado Internacional da Marcha Mundial de Mulheres
Coletiva de imprensa: 26/08, 11h, no Memorial da América Latina - Sala dos Espelhos
Abertura pública: 26/08, 17h30, no Memorial da América Latina
Programação do evento: WWW.marchamundialdasmulheres...
Acompanhe nossa fanpage: WWW.facebook.com/marchamundi...
Resumo da programação - 26/08
Memorial da América Latina
8h30 - Acolhidas pelo cortejo, no Portão 1.
9h: Conferência: A trajetória do feminismo na América Latina e Caribe
12h-14h: Resistência em exposição
Visita à exposição do acervo permanente do Memorial da América Latina.
Pavilhão da Criatividade Popular Darcy Ribeiro
14h: Conferência: Acumulação por despossessão: trabalho, natureza e corpos das mulheres
Auditório Simón Bolivar
17h: Abertura pública com a presença da Ministra Eleonora Menicucci
20h: Tenda da Solidariedade
20h: Celebrando a vida das mulheres
Teatro Fragmentos de cena, no Auditório Pagu (Biblioteca do Memorial)
Oficina de Carimbó no Palco da Liberdade
Informações e credenciamento de imprensa
Bruna Provazi - 11 3819-3876 / 985975570
Email: comunica chez sof.org.br
Informações e credenciamento de imprensa
Bruna Provazi - 11 3819-3876 / 985975570
Email: comunica chez sof.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário